Novidades


Pesquisa: Intenção de consumo volta a crescer em junho

Fonte: Fecomércio

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada pela Fecomércio-MT, nesta quarta-feira (20/06), alcançou 76 pontos em junho de 2018 e se recupera depois de duas quedas consecutivas da pesquisa. O número é 1,2% superior ao registrado no mês anterior (75,1 pontos) e 9% maior na comparação com o mês de junho de 2017 (69,7 pontos).

A melhora na intenção de consumo dos cuiabanos em junho sobre o mês anterior, observada na pesquisa, também ocorreu nas famílias com renda mensal de até 10 salários mínimos e acimo disso, com crescimento de 1,3% (73,7 pontos ) e 0,5% (97 pontos), respectivamente. Mesmo assim, a pesquisa continua abaixo dos 100 pontos, o que mostra a insatisfação persistente das famílias quanto às condições de consumo.

 

Segundo o presidente da Fecomércio-MT, Hermes Martins, a instabilidade econômica ainda é a maior preocupação das famílias da capital, o que ajuda a inibir o consumo, que poderia ser maior nesse período. “A greve dos caminhoneiros no final de maio inibiu um maior consumo das famílias cuiabanas. Os Correios chegaram a interromper o envio de produtos adquiridos pela internet, desestimulando o consumo em lojas virtuais”, explicou.

Hermes enfatizou ainda que essa instabilidade inibe as compras com tickets mais altos, que normalmente são pagas a prazo.

Melhora da situação do emprego contribui para o aumento do consumo em junho

Apesar do pouco estímulo ao consumo, dos sete subíndices da pesquisa, cinco apresentaram variação positiva em junho sobre o mês anterior, com destaque para o “Emprego Atual” e “Momento para Duráveis”, que cresceram 4,5% e 4% no período, respectivamente. Em ambos, a melhora também foi observada na comparação com junho de 2017, com variação positiva de 4,3% para a situação atual do emprego e de 17,5% para aquisição de bens duráveis.

O subíndice que trata do Emprego Atual é o único que se encontra acima da zona de insatisfação, com 117 pontos. A pontuação mostra certa segurança quanto à situação do emprego dos cuiabanos, mas ainda está longe do ideal e do teto da pesquisa, que é 200 pontos.

Perspectivas para 2018

Mesmo considerando os impactos negativos decorrentes da greve dos caminhoneiros e a paralisação de linhas de produção durante alguns dias do mês de maio, a CNC e a Fecomércio-MT mantêm a expectativa de crescimento do comércio em 2018 e aponta alta de 5,0% no varejo ampliado.




Redes Sociais